A casa abandonada da Rua Frei Orlando, 161


Fogo, bombeiros, lixo, entulho, mato, pragas, abandono, irresponsabilidade, egoísmo. 
Esse é o histórico desta propriedade da Rua Frei Orlando, número 161.
O proprietário abandonou a casa há mais de sete anos. Ainda paga IPTU, através de débito automático. Nunca aparece para fazer qualquer manutenção. 
Anos atrás, o mato cresceu, a vizinhança colocou lixo, o mato secou. Vândalos atearam fogo. Houve um grande incêndio e risco do fogo se espalhar para as casas vizinhas. Pânico. Bombeiros. Fogo dominado.
E o que fez o proprietário? Nada!
Numa das fotos, o grupo teatral O'Filos, posa diante do imóvel após o incêndio.
Hoje em dia, novamente, o mato cresceu e está secando. Lixo, foco de dengue... E o que faz o proprietário? Nada! Espera um novo incêndio.
Próximo dali, no número 174, outro imóvel do mesmo proprietário. Igualmente abandonado.
Que este proprietário saiba que está colaborando para que haja surtos de dengue no bairro.
Que este e outros proprietários saibam que existe uma lei recente sobre imóveis abandonados. Há sanções que vão do aumento progressivo do valor do IPTU a um provável confisco de imóveis que se encontrem nesse estado.
Donos de imóveis não podem agir na base do "o imóvel é meu e faço o que eu quiser", deixando-os abandonados, transformando-se num matagal, com entulho e toda espécie de praga urbana, desconsiderando a vizinhança que irá sofrer com essa atitude e a degradação do bairro.
Ter um imóvel não é só uma questão de propriedade. É também de responsabilidade.

Rogério de Moura
Coordenador do Conselho Participativo Muncipal
Aricanduva/Formosa/Carrão



0 comentários:

Note: Only a member of this blog may post a comment.